Blog

Blog

(11) 5097 9497

Gestão para Bares: 5 pontos-chave do negócio cervejeiro

Publicado em 16.04.2021
Gestão para Bares: 5 pontos-chave do negócio cervejeiro
Dicas Fernando Carvalho

Confira nossa lista com 5 elementos essenciais para gerenciar sua cervejaria, desde o atendimento ao cliente até a gestão financeira!

O sonho de empreender no universo cervejeiro passa, muitas vezes, pela ideia de ter um bar ou um brewpub. Comandar uma casa onde as pessoas se encontrem, desfrutem de uma boa cerveja em um ambiente diferenciado e personalizado, com toda a qualidade que você sempre sonhou… É algo realmente incrível! Mas a gestão para bares também pode ser desafiadora e cheia de armadilhas. 

 

Sabendo disso, contar com a ajuda e o conhecimento de profissionais experientes e atuantes no mercado de bebidas e alimentos, pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso! É por isso que, em conjunto com Fernando Carvalho e André Ramos, professores aqui no Instituto da Cerveja, hoje vamos listar para você os 5 elementos essenciais para gerenciar seu negócio cervejeiro com profissionalismo e um conhecimento sólido. 

 

5 pontos-chave da gestão para bares

 

1- Atendimento ao cliente

 

Já ouviu falar que “a venda acontece no salão”? Quando se trata do atendimento ao público em bares ou brewpubs, isso não é opção, é regra! O serviço de sala é parte fundamental da gestão, pois é nesse ambiente que seus consumidores estão, é no contato com a equipe de Front of House (FoH) que suas cervejas serão apresentadas e é a boa experiência de quem frequenta seu espaço que vai determinar se mais um cliente será fidelizado ou perdido.

 

Observar a dimensão humana do negócio é fundamental para um gerenciamento eficiente. Sejam garçons, recepcionistas, anfitriões, barmen/barwomen, barbacks, commis, gerentes de sala ou caixas; todos precisam estar adequadamente capacitados e alinhados aos conceitos da sua empresa para prestar um serviços excelente e altamente competitivo.

 

 

Você sabia? 

 

Embora não costume ter contato direto com os clientes, a equipe de Back of House (BoH) também tem influência sobre a experiência dos consumidores. Formada por cozinha, cervejaria, escritórios, áreas de armazenamento e outras estruturas não franqueadas ao público, os “bastidores” do seu bar também precisam de organização para garantir um bom fluxo de atendimento.

 

2- Hospitalidade

 

Apesar de fazer parte do atendimento ao público, a hospitalidade merece um tópico próprio por ser um dos maiores paradigmas da gestão para bares. Isso porque, além de conhecimentos técnicos, os profissionais que trabalham em seu negócio devem ter perfis e habilidades sociais que contribuam para o engajamento da clientela e levem seu bar à excelência. Lembre-se: 

 

  • A capacidade de empatia é fundamental para a equipe de FoH. Porém, ser empático não é a mesma coisa que ser simpático.
  • Simpatia é um sentimento de afinidade com determinada pessoa. Nós simpatizamos com pessoas com quem partilhamos afinidades, interesses e valores;
  • Empatia implica na capacidade de assumirmos o lugar do outro. Ela nos possibilita compreender realmente a posição do cliente, pois estaremos tentando vivenciar a experiência sob a perspectiva dele!

 

3- Treinamento de brigada

 

Tudo isso nos leva a falar sobre a necessidade de treinamento contínuo para sua brigada (outro nome que damos à equipe de sala). Aplicar recursos em um plano de capacitação estratégica para seu time de é um investimento - afinal, quem atua no serviço de bebidas e comidas aos fregueses tem influência direta sobre a rentabilidade da operação! 

 

A proposta da casa deve ser materializada, compreendida e incorporada em cada gesto da sua equipe.

 

No entanto, um bom programa de treinamento deve ir além dos aspectos puramente técnicos. Sua concepção, conteúdo e forma devem contemplar também os aspectos motivacionais, habilidades e o perfil da equipe. Em resumo, uma capacitação eficaz deve compreender 3 níveis de potencialidades:

 

 

4- Resolução de conflitos

 

Seja qual for o ramo de um negócio, o funcionamento diário sempre estará sujeito a desafios. Para encarar essas situações com mais tranquilidade, visando a satisfação dos clientes, é essencial difundir ferramentas e conceitos essenciais para a gestão de bares - como a comunicação, sua maior aliada na solução de problemas

 

O programa de treinamento deve promover a criação de uma rede de comunicação que evite a desordem entre os colaboradores, os problemas entre as diferentes áreas do negócio, e ainda ajude a transmitir os desafios identificados pela equipe de um turno para os responsáveis do turno seguinte. Manter um relatório de registro pode ser muito útil para acompanhar as ocorrências e criar uma relação de suporte entre os times.

 

5- Ferramentas de controle e indicadores

 

Por fim, é fundamental conhecer os cálculos, margens e indicadores relacionados a um negócio cervejeiro. Administrar as finanças da casa com eficiência é o que permitirá o pleno funcionamento dos demais pontos dessa lista - além de sua autossuficiência! Dentre as ferramentas que você deve conhecer para aumentar a geração de lucro, estão: CMV; Controle de estoque e compras; Fluxo de Caixa; DRE; Margem de Contribuição; prime cost; auditoria de processos; e muitas outras.

 

Que tal aprofundar seus conhecimentos sobre esses itens essenciais para o sucesso do seu bar? Conheça nosso Curso Gestão para Bares e Brewpubs - da Administração à Hospitalidade, uma capacitação online com foco na competitividade! Professores experientes vão te ensinar a atuar em aspectos fundamentais tanto do atendimento ao cliente quanto da gestão financeira, além da melhor formatação, implantação e gerenciamento para cada tipo de negócio cervejeiro:

 

 

Se você gostou desse conteúdo, siga também nossos perfis no Facebook e Instagram para acompanhar tudo o que produzimos! Aproveite para também entrar em contato com os especialistas do Instituto da Cerveja de saber mais sobre nossos cursos de capacitação.

 

 

 

Fonte: ICB