Blog

Blog

(11) 5097 9497

Técnicas de degustação que todo amante de cervejas artesanais deve conhecer

Publicado em 15.07.2021
Técnicas de degustação que todo amante de cervejas artesanais deve conhecer
Dicas Professor Celso

Para aproveitar toda a complexidade de sabores, aromas, texturas e diferentes características da sua bebida favorita, é necessário muito mais do que ser apaixonado por cervejas artesanais. Conheça, nesse artigo, as principais técnicas de degustação!

Entre gostar muito de fazer uma coisa e saber fazê-la com excelência, existe um longo caminho a ser percorrido. Essa mesma máxima se aplica às mais variadas atividades - desde os instrumentos musicais até a gastronomia, passando pelo bordado e chegando, inclusive, à degustação de cervejas artesanais. Como diria o professor Celso (que também é jornalista, Sommelier de Cervejas e Mestre em Estilos):

 

“Degustar cerveja é como andar de bicicleta. Não adianta só entender na teoria. Tem que praticar."

 

Em outras palavras, para desfrutar de toda a experiência que sua bebida favorita pode lhe proporcionar, não basta ser apenas um amante das cervejas, é necessário ter conhecimento sobre as técnicas de degustação corretas e, mais do que isso, colocá-las em prática! Nessa jornada de aprendizado - desde que acompanhada e orientada por profissionais experientes no assunto - você se tornará capaz de aproveitar todos os aromas, sabores, texturas e nuances de uma boa cerveja artesanal.

 

Pronto para começar? Então prossiga na leitura deste artigo exclusivo e confira nossas principais dicas para a degustação consciente!

 

 

Degustação X Harmonização: Qual a diferença?

 

Espere um momento! Antes de partirmos para o tema central deste texto, é importante elucidar que existem diferenças entre as técnicas de degustação e de harmonização das cervejas artesanais - não, não são a mesma coisa! Na prática, o que muda de uma para outra é o propósito, a finalidade, a execução e o nível de aptidão exigido:

 

  • A degustação está intimamente ligada à análise sensorial da cerveja, isto é, o uso dos sentidos para a percepções de cores, sabores, aromas e demais aspectos físico-químicos da bebida. Trata-se de um consumo guiado pela experiência, focado em apreciar os diferentes estilos e suas respectivas características por aquilo que são.

 

  • Já a harmonização é um “passo além” na degustação. Tendo em sua bagagem as habilidades sensoriais necessárias, os sommeliers especializados em harmonizar cervejas artesanais são capazes de criar combinações entre bebidas de diferentes estilos, dulçores e teores alcoólicos com pratos únicos da gastronomia em geral (não só brasileira), comidas típicas de bares, etc.

 

Em resumo, podemos afirmar que as técnicas de degustação são a “porta de entrada” para que você, apaixonado por cervejas artesanais, possa se profissionalizar e, um dia, estar apto a harmonizar suas próprias bebidas com os mais diversos alimentos.

 

 

 

Técnicas de degustação para iniciantes

 

Dito isso, está pronto para aprender a degustar cervejas com a ajuda dos nossos professores? Confira:

 

             1. Aparência

 

Para começar, pegue seu copo de cerveja, levante na altura dos olhos e observe bem o conteúdo. Qual é a cor dessa cerveja? Ela é brilhante ou turva (como as cervejas de trigo)? A espuma é bem formada ou rala? Por quanto tempo ela dura no copo? Respondendo esses questionamentos, você já terá uma ótima análise visual da sua bebida!

 

             2. Aromas

 

Nessa etapa, a principal pergunta é: Esse aroma me lembra o quê? Para respondê-la, lentamente leve o copo ao seu nariz, procurando sentir cada uma das notas aromáticas durante esse trajeto. A que ele se assemelha? É uma cerveja que lembra cascas de pão, caramelo, chocolate, café? Ou você a associa imediatamente à fruta cítricas, secas e até tropicais? Qual é, especificamente, essa fruta que você está sentindo? Será que é o aroma de algum condimento, como cravo, noz moscada, pimenta-do-reino? Tem toques herbais, terrosos ou florais? Esse é o caminho para uma análise olfativa completa.

 

             3. Sabor

 

Chegando aos gostos básicos, está na hora de pensar sobre os aromas que ficam dentro da sua boca e as sensações que compõem aquilo que chamamos de “sabor”. Ao beber a cerveja, pense: Qual é o gosto predominante em meu paladar? É doce, amargo ou ácido? Tem mais de um, em diferentes medidas? Se sim, quanto de cada? Qual tem maior destaque? Os aromas que você sentiu com seu nariz são os mesmos que sente agora, em sua boca? O corpo da bebida é baixo, médio ou alto? E a carbonatação? Parece com água ou um espumante? Responda para ter uma boa análise gustativa.

 

             4. Retrogosto

 

Por falar em gosto, este item está diretamente relacionado ao anterior: após engolir a cerveja, quais dos elementos descritos no sabor sobraram em sua boca? Algum gosto, aroma ou sensação aparece apenas depois da ingestão? É agradável? Descubra e defina o retrogosto dessa cerveja!

 

             5. Considerações

 

Para terminar, tendo observado todas as nuances da cerveja artesanal enquanto a consumia, tente fazer uma análise geral: É uma bebida agradável? Foi refrescante ou alcoólica? Intensa ou leve? É fácil de beber ou é complexa e exige mais atenção? Aqui, é válido inserir tanto conclusões subjetivas (aquelas que dizem respeito ao seu gosto pessoal) quanto objetivas (como fazem os sommeliers profissionais).

 

Quer conhecer mais técnicas de degustação? Assista a este webinar gratuito em nosso canal.

 

Quando terminar, reflita sobre a possibilidade de unir sua paixão com lucratividade, transformando esse apreço que você tem pelas cervejas artesanais em algo profissional. Como fazer isso? Simples: por meio de capacitações oferecidas por centros educacionais especializados no assunto! Aqui no Instituto da Cerveja, por exemplo, temos o Curso Cerveja de A a Z, onde você passeia por toda a história dessa enigmática bebida, seus principais estilos, matérias-primas, e muitos outros conhecimentos:

 

 

Se você gostou desse conteúdo, siga também nossos perfis no Facebook e Instagram para acompanhar tudo o que produzimos! Aproveite para também entrar em contato com os especialistas do Instituto da Cerveja de saber mais sobre nossos cursos de capacitação:

 

 

 

Fonte: ICB