Blog

Blog

(11) 5097 9497

Como organizar uma noite de degustação de cerveja

Publicado em 10.03.2017
Como organizar uma noite de degustação de cerveja
Dicas Instituto da Cerveja

Nesse post, separamos dicas para organizar uma ótima noite de degustação, com todos os detalhes para ser uma excelente experiência para todos os envolvidos. Confira!

Se olharmos para o mundo da cerveja, há poucos anos, ainda eram raras as pessoas que procuravam experimentar cervejas especiais. Atualmente, cresce o interesse dos brasileiros pela diversidade de opções da bebida. Por isso, nada melhor do que participar de uma degustação de cerveja, a fim de conhecer, ainda mais, o universo cervejeiro dos sommeliers.

 

Abaixo, separamos dicas para organizar uma ótima noite de degustação, com todos os detalhes para ser uma excelente experiência para todos os envolvidos. Confira!

 

Apresentação da cerveja

 

O primeiro contato do degustador com a cerveja a ser experimentada é pelo aspecto visual. Ele analisará a cor da bebida, o brilho e a formação e persistência da espuma. Além disso, a apresentação influenciará na percepção dos aromas e sabores. Por esse motivo, o copo ideal para cada cerveja é o primeiro detalhe que merece atenção.

 

O copo de cada cerveja

 

É fundamental servir cada cerveja em um copo que favoreça uma melhor degustação. Por exemplo, uma cerveja aromática precisa de um copo mais bojudo, para que os aromas da bebida tenham mais espaço para chegar ao nariz do degustador. Para facilitar, fizemos um breve resumo dos principais copos para cada cerveja:

 

• Pint ou half pint: ideal para as cervejas as pale ales inglesas e americanas, IPA’s, Porters e Stouts;

 

• Taça tipo pilsner: cervejas lagers delicadas como Pilsen e Schwarzbier;

 

• Weizen: cervejas do tipo Weiss, de trigo alemãs;

 

• Flauta (flute): cervejas delicadas como Witbiers, Fruitbeers ou aquelas produzidas pelo método Champenoise;

 

• snifter: cervejas alcoólicas como Barley Wines, Doppelbocks e Imperial Stout;

 

• Tulipas: ideais para os estilos aromáticos e intensos belgas como Blond, Trippel e Belgian Pale Strong Ale;

 

Caso não disponha de tantos copos diferentes, a sugestão é utilizar copos mais estreitos para cervejas leves e menos aromáticas e taças mais largas para cervejas mais aromáticas e intensas.

 

Outro detalhe importante é trocar os copos sempre que for servir a próxima cerveja, afim de que o cheiro da bebida anterior não interfira no sabor e no aroma do produto.

 

Rótulos para degustação de cerveja

 

Normalmente, as degustações seguem uma sequência que pode variar pelo:

 

• estilo: o foco é em um determinado estilo de cerveja e suas variações em diferentes marcas;

• país: o objetivo é degustar as principais cervejas de um país;

• cervejarias: o intuito é conhecer os vários rótulos de uma única cervejaria.

 

Recomenda-se servir entre quatro e cinco diferentes cervejas, no máximo, pois o objetivo da degustação é saborear e sentir as diferenças e não ficar alcoolizado.

 

Temperatura ideal

 

É muito importante atentar para a temperatura da cerveja que será servida. Cerveja "estupidamente gelada" anestesia as papilas gustativas da língua, impedindo que você sinta o sabor completo da bebida. Quanto mais leve a cerveja, mais fresca ela deve ser consumida, considerando um mínimo de 2°C e, esta temperatura pode subir até os 13°C conforme ela fica mais complexa e alcoólica.

 

Preparando o ambiente

 

Antes de começar, procure eliminar, ao máximo, influências externas do ambiente, como o cheiro da cozinha ou de cigarros ou perfumes. O objetivo é aguçar todos os sentidos, focando para o item principal — a cerveja!

 

Lembre-se de que é importante limpar o paladar entre uma cerveja e outra. Para isso, deixe uma jarra de água com ou sem gás ou um pão branco na mesa, assim, as bebidas serão analisadas na sua singularidade.

 

Sequência da degustação

 

A sequência deve partir das cervejas mais suaves, claras e com teor alcoólico baixo, como a Pilsen e a Witbier, passando pelas intermediárias, como as Bitter inglesas e ales belgas, até as mais potentes em amargor, álcool e torra, como IPA’s e Imperial Stouts. O importante é não permitir que uma cerveja mais amarga ou torrada esconda uma mais suave.

 

Caso deseje se aprofundar no assunto, existem cursos de sommelier que podem tornar você um expert no assunto e deixar a sua degustação de cerveja ainda mais profissional.

 

E você, também aprecia as cervejas especiais? Então, curta nossa página no Facebook e fique por dentro do mundo cervejeiro!

 

Fonte: Instituto da Cerveja